Margarida ou Margaridas?

Você sabia que a margarida não é uma só flor?

Margarida (1) Quem diria que uma das flores mais populares de nossos jardins, a margarida, pertencente a família Asteraceae, e, portanto, parente dos girassóis, crisântemos, entre outras, não é uma só flor, mas a reunião de muitas flores? margarida Áster significa estrela, em latim, e é por causa da distribuição de suas flores, que lembra o astro, que as margaridas e outras flores de sua família levam este nome científico. Há, na margarida, inúmeras flores muito pequenas, que crescem bem próximas, uma ao lado da outra, sobre uma mesma estrutura. Esse conjunto de flores é chamado de inflorescência. Para o tipo de inflorescência particular da margarida- pequeninas flores crescendo juntas parecendo uma unic flor- os botânicos dão um nome especial: pseudanto (pseudo= falso; anthos= flor), ou seja, falsa flor. Tente examinar a falsa flor da margarida aproximando-se bem dela. Você verá que há ali reunidos dois tipos de flores: umas formam o miolo amarelo e outras formam a borda esbranquiçada. Essas flores tem função biológicas importantes quando unidas, como a de produzir néctar, atrair polinizadores, além de gerar e receber pólen. Para isso dividem-se para cumprir estas funções. Muitas começam a desabrochar das extremidades em direção ao centro, assim enquanto as flores da periferia estão na fase feminina – durante a qual são capazes de receber pólen – as do centro estão na fase masculina – na qual liberam seu próprio pólen.

margarida inflorescenciamargarida2

 

 

 

 

 

Fonte: Revista Ciência Hoje das crianças 2ª edição, ano 20, nº 178, 2007, p. 17

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Calendário

novembro 2017
S M T W T F S
« Sep    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930